23 de septiembre de 2015

Que Horas Ela Volta?



Sei lá mil coisas. Poderia elogiar o filme como libelo contra o classe dominante, como ensaio social sobre a injustiça e a mudança de paradigmas nos últimos anos. Poderia sim. Mas prefiro olhar apena o lado criativo, e nesse ponto, na minha modesta opinião, a película deixa a desejar. Há um excesso de didatismo e explicações na tentativa de não deixar nada no ar. Preferiria algo mais cognitivo, mais poesia e menos discurso. Por mim, o filme terminava com a Val na piscina e só. 

Blog Archive