8 de febrero de 2014

Sujeito Oculto II

Tencionava escrever pequenas histórias brutas.
E usar cegas palavras para te tocar em pedaços.
Busto, umbigo saliente, nádegas, pés disformes.

Descrever é insistir.
O vermelho do rosto. A tatuagem em ídiche.
O suor em volta dos lábios.
Unhas bicolores.
Mas nada mais me atrai. Nada mais me provoca. 

Resta o verso, a brisa e viver de prosa. 
Vou me esbaldar, vou me acabar.
Deixar-me esquecer na beira, de fininho, oculto e à deriva.
Tenho dito.

No hay comentarios:

Blog Archive