30 de mayo de 2013

Olhar furtivo

PODERIA morrer de overdose
em verdadeiras doses homeopáticas.
Em versos confusos 
regados ao mais puro álcool. 
Escrevendo por espasmos e
relembrando o meu passado com olhar furtivo 
desconfiada
infinitamente reticente
a assumir qualquer  erro.
Quer saber de mim? 
Sou de lábios na cor e no tom mais discreto possível
com a pele alba e cheia de segredos
tatuagens a externar desejos
sentimentos abafados
fantasias mal resolvidas.
Você pensa que sou frágil?
Ledo engano. Resisti e deixei tudo como era antes
não mexi em nada
mas te vejo ao longe a reclamar
que alguém mexeu na escrivaninha de caoba
na agenda repleta de fotos e poemas antigos
mas juro que em nada mexi
que nada li
apenas joguei fora o guardanapo onde estava escrito
que você voltaria para mim.



No hay comentarios:

Blog Archive