23 de diciembre de 2012

Fastidio

A luz - sem adjetivos -
traz  a noite.
O cinza - a cor - ascende a pequena vela.
Triste e raro.
Na sua identidade.
Vive a ponderar, 
vive a mitigar desejos.
Faz rimar o medo.
Faz promessas sem sentido.
Pede desculpas e não esquece.
Mas tudo torna-se um fastidio.
Que não cansa, apenas alimenta a deserção.


No hay comentarios:

Blog Archive