12 de noviembre de 2011

Da arte de perder amigos (virtuais)

Eu e o meu terrível dom de estragar amizades por causa das besteiras que escrevo (e às vezes digo).
Deveria de haver uma lei que punisse tais atos com uma pesada multa. E que depois de paga, fôssemos sumariamente perdoados. Sem ressentimentos, sem mágoas, sem melindres.
Infelizmente não existe tal lei. E o mal-estar continua, pois toda atitude que eu tomo - para corrigir a merda que fiz - se revela no fim um verdadeiro desastre.
Uma pena. O tempo passa, a amizade esfria e o mundo nos engole. 

No hay comentarios:

Blog Archive