12 de abril de 2007

Homens trocam malhação por silicone

Não é de hoje que os homens se mostram mais vaidosos. A nova tendência, depois da depilação masculina, é a prótese de silicone para aumentar o peitoral, a panturrilha, o bíceps, o tríceps e até os glúteos. A busca pela imagem perfeita e o desejo de ter o corpo forte e malhado, mas sem muita transpiração, é o que motiva esses homens, segundo o cirurgião plástico preferido pela turma masculina do silicone, Ivan Abadesso. “A pessoa tem o sonho de ser malhado, vai à academia e não consegue. Aí resolve dessa maneira. Ele fica forte em duas horas. O resultado é bem natural”, diz o cirurgião, que cobra em torno de R$ 8 mil por cada operação. A procura pelo serviço aumentou tanto, segundo o médico, que uma vez por semana ele reserva um dia só para atender o público masculino. "De um ano para cá eu registrei um crescimento de 100%. Alguns homens não querem encontrar mulher no consultório por ter vergonha, então, tenho um dia só para eles", justifica. A preguiça de malhar, o pouco resultado obtido ou a pressa em ficar forte costumam ser as desculpas de quem se submeteu à cirurgia. Esse é o caso do estudante curitibano Robson Maestrelli, de 23 anos, morador da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, que procurou o silicone depois de passar horas na academia e não ter o resultado esperado. “Quando eu me mudei para o Rio percebi que as pessoas malhavam muito aqui. Aí eu comecei a malhar, mas não tinha muito resultado. Achei que a cirurgia seria mais prática e menos arriscada do que tomar, por exemplo, anabolizante, que faz mal para o corpo. O resultado da cirurgia é imediato e duradouro. Quem me conhece agora não imagina que tudo isso é prótese. Você não precisa mais malhar com peso e nem fazer força”, diz o estudante, que turbinou o peitoral, bíceps e o tríceps. O estudante não tem receio de assumir sua vaidade e dispara: “Se as mulheres podem colocar silicone para ficarem mais bonitas, porque nós homens não podemos também?”, questiona. Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,...1-5606,00.html

No hay comentarios:

Blog Archive