5 de mayo de 2013

Se (azul)

Se eu não me levasse tão a sério, me jogaria aos seus pés de porcelana. Usaria a saia como refúgio. Corromperia os pretorianos e soltaria fogos de artifício. Se tudo não fosse tão ridículo, espalharia pela cidade cartazes com sua foto, inventaria mentiras ardilosas e conseguiria seu número. Se eu fosse 20 anos mais jovem, ligaria todos os dias à meia-noite, aceitaria pedidos mirabolantes e usaria seu rímel favorito. 
Se a chuva e o vento não fossem tão intensos, correria pela praia, molharia os pés e me perderia no meio do oceano. Se perfeito tudo fosse, cresceria por dentro, olvidaria seus olhos, escreveria cartas de amor com tinta guache e me pintaria todo de azul royal. Simples assim.

No hay comentarios:

Blog Archive