18 de junio de 2009

Noite de segunda

Piso na relva e revejo velhos amigos. Amigos que se foram, como o cheiro de chuva e flor da noite. Espanto os meus pecados e as imagens, imagens somem. Sinto por ti, por mim. Compaixão e paz é o que resta. Silêncio agora. O caixão branco vai passar.

2 comentarios:

Alexandra Deitos dijo...

"Liberdade para opinar, falar besteira e reclamar da vida."

Liberdade...

Gostei disso!

A liberdade é única, e quando usada com responsabilidade mais ainda!

:o)

Estarei por aqui sempre que possível também.

Abraços.

mundo da lua dijo...

a algo tão triste nessa imagem.
algo tão triste como suas palvras.

Blog Archive